Como uma storage SAN altera um ambiente computacional

No passado da história dos computadores havia o “mainframe”. Todos os equipamentos que faziam parte dele era reunidos em um lugar só, chamado “data Center”, “CPD”, etc. Todo o armazenamento necessário estava diretamente conectado a ele. Tudo era administrado com uma unidade só.

O PC mudou muito essa situação – tudo começou a se separar. Os dados foram movidos do mainframe para servidores. Depois os servidores foram espalhados pela organização para aproximar o poder computacional dos usuários finais. Os servidores foram conectados por uma rede chamada de LAN (“local área network”). E por fim, as LANs foram conectadas para formar a Internet.

As redes de computadores permitem que as pessoas se comuniquem e compartilhem informações umas com as outras. Mas essa interconexão levou ao crescimento exponencial de informações e dados que eram armazenados de uma maneira muito pouco eficiente para serem gerenciados. Gerenciar todos os dados, esparramados pelos diversos servidores que podem compor uma rede tornou-se um pesadelo.

Como todo o armazenamento de dados era localizado dentro de cada servidor, não havia maneira efetiva de alocar espaço de armazenamento entre todos os servidores. As pessoas podiam compartilhar arquivos em uma LAN mas ainda era necessário compartilhar acesso para os discos físicos onde os dados eram armazenados em cada servidor, ao invés de usar discos dedicados em cada servidor. Para mudar esse quadro surgiu a storage SAN.

Como o protocolo TCP-IP utilizado em uma LAN foi desenvolvido para mover e compartilhar arquivos, ele não tinha uma funcionalidade nativa de acessar discos de armazenamento.

Os discos em uma SAN são colocados em um dispositivo dedicado de armazenamento chamado de “disk array”. Todos os servidores se conectam ao dispositivo de armazenamento usando uma rede de alta velocidade com o protocolo “fibre channel”. Usar uma SAN permite acesso compartilhado e consolidado de qualquer servidor ao dispositivo de armazenamento e aos dados que estão nele.

Uma SAN torna os servidores menos importantes que os dados armazenados nela – afinal, para qualquer organização, o que realmente importa são os dados e não os equipamentos utilizados para acessá-los. Se uma organização perde um servidor ele pode comprar outro e repô-lo, se uma organização perde seus dados, ela corre o sério risco de acabar…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.