Perigo: não abra uma empresa no Brasil

Embora o Brasil tenha uma grande quantidade de pessoas com espírito empreendedor parece que o Estado Brasileiro não acha isso bom para o país e de todas as formas tenta sabotá-las.

São taxas, alvarás, impostos, uma forma de recolher tributos estapafúrdia, enfim tudo parece sabotar o empreendedor no Brasil. Não é apenas a concorrência mas, principalmente, o Governo e tome informalidade por causa disso.

Já escrevi sobre a falácia do chamado micro empreendedor individual. Vamos ver agora uma empresa, uma Ltda, por exemplo.

Fiscalização dos bombeiros na abertura de empresas – é fogo o valor em alguns Estados



Você não pode abrir um estabelecimento sem a assistência e a fiscalização dos bombeiros. Também é claro que o Corpo de Bombeiros não vai fazer isso de graça. Mas por que em Sergipe p Corpo de Bombeiro cobra R$ 2.442,00 enquanto no Acre a fiscalização sai por apenas R$ 72,00.

Será que Sergipe está tão rico (ou preocupados com incêndios…) que deve encarecer o custo de abrir uma empresa e diminuir a quantidade de empregos que podem ser criados pelos empreendedores?

O Contrato Social – uma prática contra a concorrência sem pé nem cabeça da OAB

A OAB parece estar envolvida em todas as causas relacionadas a Justiça no Brasil. Mas quando se trata de defender a livre concorrência entre os advogados, cobrando de acordo com sua capacidade e credibilidade ela passa longe, fixando tabelas mínimas.

Você não pode abrir uma empresa de porte médio sem um contrato social. E como fazer isso sem um advogado? O cara é profissional, não vai trabalhar de graça…

Pois é… Em Santa Catarina a tabela mínima para isso é de R$ 2.6821,00. Já na Paraíba saí por R$ 200,00. Mas o exame da OAB não é igual para todos os advogados do Brasil (aliás porque o exame…)?

A abertura de uma empresa – 6 a 8 etapas, 12 a 16 taxas e 43 documentos

É isso mesmo. Não houve um erro de redação acima não. São 6 a 8 etapas, 12 a 16 taxas e 43 documentos para se abrir uma empresa, de acordo com a Firjan.

Tributo no Brasil – o Governo quer dinheiro mas pagar é complicado…

Pagar impostos não é simples. Dada a enorme complexidade de nosso sistema tributário, a empresa precisa de contadores, advogados, administradores – com seus computadores, sistemas e funcionários auxiliares, em instalações às vezes maiores que a fábrica.

Ou seja, tem o custo tributário e o custo operacional do custo tributário. E todas essas despesas feitas antes de faturar o primeiro centavo.

Fora os “pequenos” detalhes acima, a mudança de regulamentação é de uma frequência espantosa e injustificada. Agora por exemplo existe uma nova regulamentação para marcar o ponto dos funcionários. As empresas precisam instalar uma nova máquina que custa apenas… R$ 4.000,00



O Governo Brasileiro, talvez por predominar uma cultura de funcionalismo público acha que todas as empresas são multinacionais com milhões (bilhões é melhor) de reais para investir antes de começar a  faturar um mísero centavo. Para não acompanhar a realidade que a maior parte das empresas são de micro e pequenas, com empresários endividados, sem poder gastar dinheiro desnecessariamente.

A Fiesp calculou quanto as empresas brasileiras gastam com a burocracia a que são submetidas. São nada menos que R$ 46,3 bilhões/ano, equivalente a 1,5% do PIB.

Para comparar: os investimentos totais no Brasil chegam, na média recente, a 17% do PIB. Ou seja, a burocracia comeu nada menos que 10% disso.

É difícil imaginar que um Google, uma Microsoft, Dell, Apple ou uma dessas outras empresas que nos encantam pelas inovações tecnológicas iriam surgir num país que nem o Brasil. Empresas inteiramente surgidas com capital privado (sem dinheiro público nenhum) onde seus investidores sabiam do risco que estavam correndo e mesmo assim decidiram apostar nelas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.