Recursos humanos, recrutamento e seleção cheios de falhas

Se pegarmos a história da Administração desde o início do século passado, vamos ver que foi mudando a forma como as empresas viam os trabalhadores: de pessoas que precisavam ser vigiadas e controladas ao recurso mais importante para o sucesso de uma empresa.

A mudança de visão foi um longo processo que aconteceu em algumas empresas enquanto em outras não. Hoje encontramos empresas que tratam seus recursos humanos como componente chave de sua estratégia a outras que só faltam colocar um capataz com um chicote para controlá-los. A área de Recursos Humanos, em algumas empresas, deixou de ser  um centro de custos para uma área estratégica. Em outras empresas continua sendo vista apenas como um centro de custos, necessário devido a exigências legais.

Mas a realidade é que a área de Recursos Humanos, independente de como a empresa a veja, falha muito e em um dos processos em que elas mais ocorrem é exatamente no processo de recrutamento e seleção.

Desde que comecei minha carreira profissional, passando por entrevistas de seleção para estagiários ao ponto em que passei a ser a pessoa quem solicitava a área de RH a contratação de pessoas, sempre olhei com algumas ressalvas o trabalho dos profissionais. Minha maior ressalva talvez seja a "incrível capacidade" dos recrutadores e selecionadores conseguirem selecionar pessoas…iguais a elas !

A área de Recursos Humanos, devido aos paradigmas e preconceitos de seus profissionais tende a contratar pessoas que se aproximam de um modelo e com isso desperdiça talentosSe não houvesse mudança no mundo isso seria ótimo. Bastava, com base na tentativa e erro, selecionar uma pessoa ideal para a área de RH e depois deixar ela recrutar e selecionar pessoas iguais a ela. Só que faltou combinar com o mundo que ele não poderia estar em constantes e cada vez mais rápidas mudanças. Diversidade é fundamental no mundo em que vivemos.

Lendo o blog A quinta Onda fui me deparar com um artigo muito interessante sobre isso que me chamou a atenção. Nele o autor, Mauro Segura, escreveu um interessante artigo dizendo que sobre a visão atual da área de RH, entre os candidatos a emprego Bill Gates, Steve Jobs, Mark Zuckerberg e Bernard Madoff, apenas o último, que fraudou investidores em mais de US$ 50 bilhões conseguiria emprego.

No artigo, é criada uma suposta vaga na área de desenvolvimento de novos negócios e quatro candidatos se apresentam: Bill Gates, Steve Jobs, Mark Zuckerberg e Bernard Madoff. Os requisitos eram ter um perfil empreendedor, mente inovadora e com alguns anos de experiência.

O candidato Bernard Madoff foi escolhido por unanimidade pelos entrevistadores. Ele apresentava mais qualidades e evidências de um potencial talento do que os outros.
Steve, Bill e Mark receberam cartas da empresa, agradecendo a participação no processo e dizendo que os seus currículos continuariam no banco de dados da empresa.

Vou transcrever excertos do artigo original para mostrar como a visão da área de Recursos Humanos pode ser equivocada em processos de recrutamento e seleção. Algum conhecimento da personalidade dos quatro empresários acima pose ser necessário para entender o "relatório da área de RH".

 

Recrutamento e seleção: Steve Jobs reprovado nas entrevistas

O relatório da entrevista com o fundador da Apple apontaria os seguintes motivos para a eliminação:

  • não tinha uma formação familiar sólida. Ele foi abandonado pelos pais verdadeiros e adotado por um casal no subúrbio de San Francisco, que eram operários, sem formação especializada;
  • não tinha nível superior: ficou apenas seis meses e abandonou o curso, dizendo que a escola era chata e não via benefícios em continuar;
  • queria montar um negócio "sem pé nem cabeça" e sequer tinha dinheiro para começar;
  • maneiras arrogantes – disse que a estratégia da empresa estava errada seguidamente e criticou os executivos;
  • personalidade forte, muito assertivo;

Recrutamento e seleção: Mark Zuckerberg reprovado nas entrevistas

Eis um que um relatório de entrevista por um atual entrevistador da área de RH apontaria que levaria a reprovação de Mark Zuckerberg

  • pouca seriedade na faculdade, ainda mais se tratando de Harvard;
  • não quis se submeter as regras da faculdade e acabou abandonando-a no meio do curso;
  • tem dificuldade de concentração;
  • Ele demonstrou fascínio pela tecnologia, mas parece não saber o que fazer com o conhecimento que tem. Afirma que tem ideias para que a tecnologia ajude as pessoas a se relacionar melhor, mas não consegue ser claro nessas ideias. Divaga muito.

Recrutamento e seleção: Bill Gates reprovado nas entrevistas

Por fim os motivos da reprovação de Bill Gates em sua entrevista:

  • Ele foi admitido na Universidade Harvard, mas abandonou o curso de Matemática e Direito no 3º ano;
  • Por diversas vezes durante a entrevista, o candidato olhou para a janela. Parecia pensar em outras coisas. Algumas vezes, recostava-se na cadeira, ficando quase deitado, demonstrando desinteresse e falta de educação;
  • Não estava bem vestido. Veio de tênis para a entrevista;
  • Também durante a entrevista, ele mexeu no celular várias vezes, demonstrando desatenção com o entrevistador.
  • seu ponto positivo era que apresentava boa formação familiar. Seus pais, de classe média, tinham boa formação e eram bons trabalhadores. Ele tinha duas irmãs. A família mostrava equilíbrio

Recrutamento e seleção: a vaga foi para Bernard Madoff

Já o último candidato, Bernard Madoff, foi muito bem nas entrevistas e foi escolhido por unanimidade:

  • O candidato nasceu de família judia, cujos pais eram bons trabalhadores;
  • Seu primeiro trabalho foi como encanador, mostrando um início humilde, o que é muito positivo;
  • Boa formação universitária, tendo estudado Ciências Políticas e Mercado de Capitais;
  • Compareceu às entrevistas vestindo terno, o que mostra preocupação com a imagem;
  • Nas entrevistas, parecia ouvir tudo atentamente e fez muitas perguntas, demonstrando curiosidade;
  • Mostrou concentração, foco e interesse;
  • Também mostrou ambição e ansiedade, o que pode ser muito bom para um jovem em início de carreira.

 

Dos quatro candidatos, Bill Gates, Steve Jobs, Mark Zuckerberg criaram empresas que de alguma forma revolucionaram o mundo e a forma como vivemos. Já Bernad Madoff foi condenado a prisão perpétua por fraudes em investimentos que somam mais de US$ 50 bilhões.

Embora, muito provavelmente Bill Gates, Steve Jobs, Mark Zuckerberg, dentro de uma empresa já estabelecida, não viessem a ser bons funcionários e a deixassem (ou "fossem deixados") em pouco tempo a realidade é que a área de Recursos Humanos sem nenhuma dúvida segue paradigmas e preconceitos que acabam não resultando na contratação de talentos; ao contrário, acaba contratando pessoas muito parecidas de uma visão ideal. E não existe isso no mundo !

 

Você já se questionou quanto pode estar contratando mal ? O quanto a sua área de Recursos Humanos pode estar eliminando talentos com bases em paradigmas e preconceitos ? Está na hora de começar a se preocupar se você não quer perder os próximos Bill Gates, Steve Jobs, Mark Zuckerberg e acabar contrando um Bernad Madoff !

1 comentário em “Recursos humanos, recrutamento e seleção cheios de falhas”

  1. SIM eu comcordo com esta materia, muitas veses observei a má contradação por prequiça ou interreses inadequados ,talavez um BERNAD MADOFF ñ esteja por perto .mais funcionarios mau preparado é o que não falta, uma certa empresa sempre contrata funcionarios que por desespero trabalham sem parar com baixo salarios ou uma empresa que tem no seu (RH) funcionarios dicuidados que não observam bem falhas ou erros graves infelismente no BRASIL as coisas ainda estão de vagar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.