Wireless, o futuro de nossos aparelhos será assim

Já é possível prever o futuro com um mundo sem cabos. Os aparelhos tecnológicos tendem a eliminá-los e a transmitir dados e imagens por meio de técnicas sem fios como Wi-Fi, bluetooth e USB sem fio. Computadores, câmeras tográficas, alto-falantes, televisores e impressoras, entre outros, chegam ao mercado com o rótulo de wireless.

Cada vez mais um maior número de aparelhos lança uma versão wireless. Este é o caso dos inovadores alto-falantes Logitech Squeezebox Duet, que permitem escutar música em qualquer quarto da casa. A opção Wi-Fi também pode ser vista entre as câmeras digitais fotográficas, que permitem imprimir imagens ou passar arquivos para o computador sem necessidade dos incômodos cabos.

A impressora Zink imprime fotografias que são enviadas do celular ou da câmara por meio de bluetooth ou USB. O tamanho das imagens em papel é de 5 por 7,6 centímetros. A grande novidade é que não utiliza tinta, mas uma nova tecnologia de impressão a base de calor.Quase todos nós já enviamos uma foto de celular para celular com bluetooth ou compramos um notebook com Wi-Fi. Os sistemas mais utilizados de tecnologia sem cabos hoje em dia são a conexão à internet por Wi-Fi e o uso de bluetooth nos telefones.

Graças a esta nova forma de conexão, a internet está se transformando em uma ferramenta universal. De fato, já é possível acessar à web graças a uma rede sem fio que, situada em um ponto, dá cobertura a diferentes usuários.

Em vários lugares de um bom número de cidades, como São Francisco e Paris já é possível utilizar internet de forma gratuita. Na Espanha, 44 universidades públicas já oferecem internet sem custo algum em seus campi. No Brasil, por enquanto, o mais comum são os hotéis. Mas a tendência “sem cabos” não se limita à possibilidade de se conectar à rede. Cada vez mais um maior número de aparelhos inclui a opção wireless. Esse é o caso dos inovadores alto-falantes Logitech Squeezebox Duet, que permitem escutar música em qualquer quarto da casa.

Funcionam inclusive com o computador desligado. Além disso, permite acrescentar mais de um receptor, o que dá a possibilidade de escutar uma música diferente em cada quarto ou sincronizar os receptores para escutar a mesma melodia em todos os espaços. Todas estas funções são controladas pelo comando Squeezebox Duet.

Câmeras Wi-Fi

A opção Wi-Fi também pode ser encontrada nas câmeras digitais fotográficas. Ela permite imprimir imagens ou transferir arquivos para o computador sem necessidade dos incômodos cabos. Um exemplo delas é a Canon PowerShot SD430 (Digital Ixus Wireless), a primeira câmera sem fio que a Canon lançou no mercado.

Desde então, outras companhias têm melhorado e complementado essa ferramenta, como as fabricantes Panasonic e T-Mobile, que desenvolveram a Lumix, com capacidade para carregar fotos em Web Albums do Google, um serviço gratuito que permite enviar e receber
fotos on-line.

O sistema funciona assim: após tirar fotografias com a Lumix, os usuários descarregam as fotos na rede com o serviço T-Mobile HotSpot, que precisa ser instalado antes. Uma vez postadas as fotos, o programa envia um link por e-mail que dá acesso às fotografias.

O futuro wireless

Em janeiro passado, na feira tecnológica CES 2008 de Las Vegas (EUA) ficou bem claro que os aparelhos se desfarão dos cabos em poucos anos. Foram apresentados televisores, câmeras de vídeo, câmeras fotográficas, leitores de DVD, computadores, impressoras e monitores que se conectam entre si através de ondas, seja pela tecnologia Bluetooth, Wi-Fi ou USB sem fios.

Uma das apresentações que mais chamou a atenção foi a da Panasonic e o primeiro sistema de transmissão em alta definição baseado em wireless HD para transmissão de áudio e vídeo. Essa tecnologia permite mandar música, imagens e vídeo ao televisor. As impressoras sem fios também tiveram seu minuto de fama na feira. A marca Polaroid aproveitou a ocasião para apresentar uma impressora portátil para celulares e câmeras digitais de pequeno porte e 220 gramas de peso.

A impressora Zink imprime fotografias enviadas por celular ou câmara por bluetooth ou USB. O tamanho das imagens em papel é de 5 por 7,6 centímetros. A grande novidadeé que não utiliza tinta, mas uma nova tecnologia de impressão térmica desenvolvida pela fabricante americana Zink Imaging e que emprega calor para ativar minúsculos cristais de cor revestidos no papel.

O futuro já está aqui. Da mesma forma que ocorreu com o telefone fixo, que abriu caminho para o celular, tudo indica que acontecerá o mesmo com o resto dos dispositivos eletrônicos. A tendência é estar sempre conectado em qualquer lugar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.